setembro 26, 2014

Peça teatral Eólitos incorpora ciência e arte nas suas coreografias


Em cartaz entre os dias 2 e 5 de outubro, na Galeria Olido, e nos dias 8 e 9, no CC da Penha


        Do grego eos, aurora, e lithos pedra, eólito na arqueologia refere-se às pedras lascadas, que se supõem terem sido os primeiros utensílios trabalhados intencionalmente pelo homem. As pedras que sobreviveram ao tempo acumulam as transformações da ação humana ou da própria natureza, ou seja, da pedra bruta a criação.  Em “Eólitos”, a dança, concebida pela coreodramaturga Joana Lopes, estabelece uma relação do movimento humano com a pedra bruta. Na Galeria Olido, o espetáculo pode ser conferido entre os dias 2 e 5. Já no Centro Cultural da Penha nos dias 8 e 9.
        A coreografia dessa dança é fruto de uma pesquisa em arte e ciência, que transfere simbolicamente conceitos da física e da matemática, conhecido como Coreotopologia. Segundo a coreodramaturga, a relação do conhecimento prático com a interferência humana foi utilizada para recriar as concepções inacabadas do contexto da sociedade atual. “Nossa dança quer um corpo inacabado. Quer um confronto com o corpo acabado que dá respostas iguais, num cotidiano igual para uma cultura da dança igual”, explica.
        O teatro também é integrado às coreografias da dança para atingir uma polissemia aos movimentos. “Para nós interessa a dança como canalização e transformação da energia, sem que ela seja fragmentada ou improvisada. E o teatro acontece na medida da criação do espírito do jogo dramático, quando as relações entre as tensões e ritmos que o jogo sugere são conduzidas pelos artistas a uma dimensão simbólica.”, afirma Joana, que também é diretora.
        A criação “Eólitos” é uma parceria entre o teatro Antropomágico e o Cerco Choreográfico, com direção cênica de Joana Lopes, performance de Andreia Yonashiro e elenco de bailarinos-atores. A trilha musical original é do compositor franco-brasileiro Zeka Lopez.

Serviço: 
Galeria Olido – Sala Paissandu. Av. São João, 473. Próximo das estações República, Anhangabaú e São Bento do metrô. Centro.Tel. 3331-8399 e 3397-0171.De 2 a 5. 5ª a sáb., 20h. Dom., 19h
| Grátis (retirar ingresso uma hora antes)
Centro Cultural da Penha – Teatro Martins Penna. Largo do Rosário, 20, Penha. Próximo do Shopping Penha. Zona Leste. Tel. 2295-0401 Dias 8 e 9, 20h | Grátis (retirar ingresso uma hora antes)

Nenhum comentário:

Arquivo do blog